segunda-feira, maio 20, 2024

Casos de dengue têm queda, mas ainda internações preocupam

Share


Casos de dengue registram queda, mas internações preocupam
Internações por dengue em Goiás já somam 2.684 mil este ano (Foto: Pexels)

O Governo de Goiás reforça o alerta para a dengue. A Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (25/04), informou que, mesmo com a redução do número de casos, em 22,65% entre as semanas 12 e 15 deste ano, as internações seguem avançando.

Desde o início do ano já são 2.684 internações, enquanto que no mesmo período de 2023 foram 153.

“A queda do número de notificações da dengue não significa redução de internação. Portanto, a população deve redobrar os cuidados com relação à prevenção da doença”, recomenda a superintendente de Regulação, Controle e Avaliação da SES, Amanda Limongi.

Segundo ela, nos primeiros sintomas, é importante o paciente procurar as unidades básicas de saúde, as unidades de pronto atendimento, para começar a hidratação correta e as indicações pertinentes o quanto antes. “Isso possibilita que o caso não se agrave e haja menos internação”.

A gestora lembra que o cenário é também de preocupação diante da ocorrência de chuvas, temperaturas altas, com vírus da dengue e chikungunya em circulação simultânea. Este ano, foram notificados 240.150 casos de dengue. Desses, 120.193 foram confirmados e 135 mortes registradas. Outros 150 óbitos por dengue ainda estão em investigação.

Casos de dengue registram queda, mas internações preocupamCasos de dengue registram queda, mas internações preocupam
Durante coletiva de imprensa, superintendente Flúvia Amorim lembrou que a vacina é o meio mais eficaz de prevenir internações (Foto: Iron Braz)

A superintendente de Vigilância em Saúde da SES-GO, Flúvia Amorim, afirma que a gravidade do cenário atual é pior do que o verificado em 2022, quando foram confirmados, no ano todo, 193.782 casos e 182 óbitos pela doença.

Ela ainda alerta que a vacina é o meio mais eficaz de prevenir internações, tanto de dengue como de doenças respiratórias. “Exatamente pela diminuição do número de pessoas vacinadas nos anos anteriores para gripe e covid-19, por exemplo, que hoje temos esse aumento de casos de doenças respiratórias e de sua gravidade”, pontua.

Atualmente, o percentual de vacinação contra a dengue é de mais de 90%, com aplicação de 148.098 doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

“Contudo, temos cerca de 10% de doses disponíveis. As pessoas precisam procurar um posto de vacinação. Lembrando que, para esse lote específico, foi liberada a vacina para pessoas de 04 a 59 anos de idade”, ressalta Flúvia.

Investimento

O Governo de Goiás destinou mais de R$ 5 milhões aos municípios para aquisição de medicamentos para o tratamento da dengue e chikungunya. A medida é executada pelo Gabinete de Combate as Arboviroses.

Cerca de 100 cidades com alto e médio risco para as doenças já receberam mais de R$ 270 mil em produtos como soros (cloreto de sódio injetado), dipirona sódica (comprimido, solução oral e injetável) e sais para hidratação. São enviados ainda repelentes, equipamentos de proteção individuais, materiais impressos informativos e educativos (como banners e cartazes), além de cartões para controle dos casos.

Saiba mais

Goiás amplia vacinação contra dengue para pessoas de 4 a 59 anos

Dengue ainda preocupa e estado pede ajuda no combate ao Aedes aegypti

Internações por dengue aumentam em abril

Saúde alerta para coinfecção de dengue e chikungunya

Secretaria de Estado da Saúde – Governo de Goiás



Source link

Leia mais

Local News